Mostrando postagens com marcador Negócios. Mostrar todas as postagens

 


Interessados já podem participar do Observatório do Ecossistema de Inovação, novo desafio da Brasil Startups, FAPDF e atores-chave do ecossistema.  

 

O que você acha de alcançar um melhor posicionamento no mercado, poder tomar decisões estratégicas mais bem informadas, se debruçar sobre projetos impactantes e entender quem são os stakeholders ou grupo de interesse do seu negócio? Pois está aberta a temporada de construção de um novo cenário para o ecossistema da inovação no Distrito Federal e Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (RIDE)!


A Fundação de Apoio à Pesquisa e Inovação do Distrito Federal (FAPDF) e a Associação de Startups e Empreendedores Digitais do Brasil (Brasil Startups) se uniram para a construção do Observatório do Ecossistema da Inovação (Inovatório), maior e mais completo mapeamento e classificação do ecossistema da inovação do DF e RIDE. 


“O Inovatório é uma ação do projeto Startup Brasília 2030 (SBSB2030), iniciativa apoiada pela FAPDF no âmbito do seu Programa de Aquecimento do Ecossistema de Inovação do Distrito Federal. Nosso intuito com a realização do Programa e o apoio a iniciativas como essa é promover o desenvolvimento inteligente e sustentável de Brasília para transformá-la em uma cidade inteligente”, ressalta Marco Antônio Costa Júnior, diretor-presidente da FAPDF. “O GDF aposta na atuação integrada entre governo, setor produtivo, academia e sociedade para transformar a capital federal em um polo produtor de inovação”, completa.


Voltado para diversos atores-chave, como startups, empreendedores, investidores, universidades, coworkings, escolas, influenciadores e prestadores de serviços especializados, o Inovatório irá suprir a falta de dados estruturados e informações atualizadas sobre o universo da inovação. A proposta é conectar empreendimentos, compartilhar dados e contribuir para a elaboração de políticas públicas mais eficientes para a região. Os interessados em participar do mapeamento deverão acessar o endereço eletrônico do Inovatório.

“Empreendedores poderão encontrar em um único lugar e de forma acessível informações e inteligência de dados para conectar e apoiar a tomada de decisão das startups. O Inovatório também vai permitir que os diversos agentes enxerguem a evolução do setor e avaliem o cenário e as tendências para que possam planejar com maior propriedade as ações que deverão potencializar cada vez mais o ambiente de inovação nos seus negócios e na região”, ressalta  o vice-presidente da Brasil Startups e coordenador de implantação do Inovatório, Wendely Leal.

Integração e conhecimento –  O Inovatório vai reunir essas informações e torná-las acessíveis, fornecendo indicadores para consultas de fins diversos; incentivar políticas públicas com bases de dados; e dar suporte a decisões estratégicas do setor público e privado. Será um hub de conteúdo atualizado em tempo real com dados, informações e aprendizados disponibilizados no portal Observatório do Ecossistema de Inovação, canal que vai contribuir para a conexão de empreendedores, possibilitando a troca de experiências, a cocriação e o fortalecimento dos negócios inovadores e startups na região, o diálogo entre os participantes e a construção de um ambiente favorável à inovação. 

A partir disso, será possível atrair novos investidores e parceiros, além de auxiliar o poder público e privado no processo de criação de políticas públicas e na tomada de decisões estratégicas que favoreçam o crescimento e a prospecção das startups na região. “Acreditamos que as startups são atores essenciais para esse processo de transformação, com potencial para gerar soluções para a cidade, oportunidades e ativos econômicos”, destaca o diretor-presidente da FAPDF.

Como participar – Para participar do mapeamento, basta se cadastrar em um ou mais formulários que estão disponíveis no endereço eletrônico do Inovatório: http://inovatorio.org/mapeamento. Caso queira apenas consultar dados, acesse: inovatório.org.

“Ao contribuir  com o mapeamento, os participantes serão beneficiados com dados que irão possibilitar uma maior compreensão sobre as características do ecossistema de startups e poderão sair do campo das suposições na hora de planejar ações futuras”, afirma o coordenador de marketing na Brasil Startups, Daniel Chacal. “Nós vamos trazer informações gerais sobre o perfil  da startup e dos colaboradores, indicadores de aquecimento, impacto da Covid-19, entre outros”, completa.

A proposta está comprometida com a proteção total dos dados dos participantes, a partir do cumprimento da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), que dispõe sobre o tratamento desses dados, inclusive nos meios digitais.

 



Pessoas de todas as idades precisam umas das outras – e a pandemia da Covid-19 escancarou isso como nunca. Os dados estatísticos e as pesquisas de percepção realizadas nos últimos meses mostram que a necessidade de cuidados com crianças, idosos, enfermos e pessoas com necessidades especiais disparou – e isso caminha para se aprofundar ainda mais em um futuro próximo: segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT, um organismo vinculado à ONU). 2,3 bilhões de pessoas em todo o planeta precisarão ser cuidadas por outras até 2030, um número que é impulsionado por mais 200 milhões de idosos e crianças nas sociedades.  

“Cuidar das pessoas, investir no futuro” é o lema do Fórum Family Talks, que vai debater, de 24 a 26 de agosto, o papel das famílias, das empresas e dos poderes públicos de modo a oferecer insights para que a sociedade brasileira possa se reorganizar em suas diferentes esferas em torno do cuidado com seus cidadãos.

“Uma criança precisa de tempo em família mais intenso em seus primeiros anos de vida para se tornar um adulto saudável e equilibrado; as empresas devem oferecer aos seus empregados, especialmente à sua mão de obra feminina, condições concretas de manejar o tempo entre trabalho e família; os poderes públicos precisam instituir leis que assegurem esse equilíbrio. O cuidado privado tem repercussão pública, e isso precisa ser discutido”, aponta Rodolfo Canônico, especialista em Políticas Públicas para a Família pela Universidade Internacional da Catalunha e fundador e diretor-executivo do Family Talks.

O evento, que será virtual e com participação confirmada do ator Juliano Cazarré e de Patrícia Frossard, presidente da Philips no Brasil, reunirá pediatras, empresários, dirigentes de organizações da sociedade civil, professores universitários e colunistas especializados. As inscrições, abertas a todos os interessados, podem ser feitas no site fórum.family talks.org.

Tripé social – O Fórum Family Talks terá três painéis, um por dia de evento. O primeiro, focado no seio da família e sob o tema “Experiência com os filhos e a importância ao cuidar”, vai expor, entre outros tópicos, a importância do tempo dedicado pelos pais durante a primeira infância. Participam da programação a médica Pediatra da Sociedade Brasileira de Pediatria, Luci Pfeiffer, a fundadora da ONG Tempojunto e colunista da Revista Crescer, Patrícia Marinho, e o ator e pai de quatro filhos Juliano Cazarré.

“Sabe-se, por exemplo, que nos primeiros anos de vida o cérebro do bebê forma novas conexões ao ritmo de 1 milhão por segundo, taxa que nunca mais se repete na vida, segundo revelou um estudo do Harvard University’s Center”, destaca Canônico. 

O segundo painel se debruçará sobre a importância do equilíbrio trabalho-família – especialmente a premência, em nosso mercado de trabalho, de que as empresas criem e facilitem programas e políticas de apoio às famílias para as suas tarefas de cuidado. Um exemplo a ser seguido é o Care Economy Business Council, uma coalizão de 200 empresas, que inclui McDonald's, Google, Uber e Spotify, que já atua nesse sentido. 

Os convidados para a discussão são a country manager da Philips no Brasil, Patricia Frossard, a fundadora do Flux Institute e colunista da Revista Forbes, Flávia Camanho, e o diretor-geral do ISE Business School, José Paulo Carelli. 

No terceiro painel o tópico será a necessidade de apoio público para o cuidado, cujas premissas são o aumento da expectativa de vida da população e os novos arranjos familiares, que ampliam a demanda por cuidadores e desafiam a gestão pública. 

Os convidados nesse painel são o cofundador e diretor presidente do Grupo Tellus, Germano Guimarães, o professor da USP e fundador do  Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS), Marcos Kisil, e o diretor pedagógico do Centro Educacional Assistencial Profissionalizante (CEAP), Paulo Neiva.

Nesse tópico estão inseridos projetos para os quais o Family Talks já advoga, como o Imposto de Renda das Famílias – que propõe mudanças no Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) prevendo uma adoção de cálculos de modo a proteger as famílias com menor renda e mais dependentes –, a ampliação da licença parental e a adesão de mais empresas ao Programa Empresa Cidadã.

Como participar? Para participar do evento é preciso se inscrever em forum.familytalks.org e obter gratuitamente o ingresso na plataforma Sympla. Também é necessário ter o Zoom instalado. Saiba mais sobre o acesso ao evento clicando aqui.

A iniciativa – Family Talks é o programa de advocacy da Associação de Desenvolvimento da Família (ADEF), que busca assegurar proteção especial à família (artigo 226 da Constituição Federal) através da atuação junto ao governo e à opinião pública, com a promoção de ações públicas e privadas para o fortalecimento das relações familiares. A ADEF está vinculada à International Federation for Family Development (IFFD), que congrega mais de 200 associações, está em 66 países e possui status consultivo geral na ONU. 

Serviço

O quê: Fórum Family Talks – Cuidar das pessoas, investir no futuro

Quando: 24 a 26 de agosto de 2021

Horário: das 19h às 21h

Onde: Videoconferência via Sympla Streaming 

Site para inscrições gratuitas: forum.familytalks.org

Diferentemente do que indica o senso comum, projetos de inovação podem significar mais do que a criação de equipamentos geniais. Para o Cebraspe, inovar é sinônimo de melhorar processos já existentes, de modo que as organizações ganhem em eficiência, melhorem a experiência do cliente, otimizem fluxos de trabalho e implantem práticas ambientalmente corretas.

Por isso, a instituição – já conhecida no Brasil por promover o ensino, a pesquisa científica e o desenvolvimento tecnológico e institucional – elevou a aposta no aprimoramento do seu processo de gestão da inovação, para se consolidar como Instituição Científica, Tecnológica e de Inovação (ICT) referência nas áreas de educação e avaliação.

De acordo com Claudia Maffini Griboski, Diretora Executiva do Centro, a agenda da inovação sempre foi uma das prioridades da instituição e ganhou força com o Novo Marco Legal de Ciência e Tecnologia (Lei nº 13.243/2016). Depois de criar o Programa Inovar, em 2019, e aprovar a sua Política de Inovação, em 2020, o Cebraspe está em fase avançada de implantação da Incubadora de Projetos, que vai estabelecer processos estruturados para melhor acompanhar os projetos de inovação advindos do Programa Inovar, além de outras iniciativas estratégicas da instituição.

“A ideia é estimular a cultura de projetos inovadores na organização, em outras Instituições de Ciência e Tecnologia (ICT’s) parceiras e também junto a pesquisadores interessados em desenvolvimento de projetos aderentes às áreas de atuação da nossa organização”, explica a Diretora, que também é Presidente do Comitê Interno de Apoio e Estruturação de Processos de Inovação (Caepi).

A incubadora vai prospectar, selecionar e capacitar projetos que apresentem ideias de produtos, processos ou serviços inovadores, com potenciais diferenciais de mercado, viabilidade técnica e econômica. Além disso, vai oferecer mentoria qualificada, capacitações e experiências na área dos projetos selecionados, para que as ideias sejam aprimoradas e recebam apoio que torne viável a sua implantação.

“Com o Programa Inovar, observou-se que alguns projetos não avançaram como poderiam por uma série de fatores e que, talvez, com uma incubadora de projetos, auxiliando na viabilidade, poderíamos ter um ganho institucional”, afirma Danylo Mucury, colaborador do Centro, um dos idealizadores da incubadora e membro do Caepi.

Programa Inovar – O Programa Inovar foi lançado pelo Cebraspe em 2019 e este ano entra em sua 2ª edição. A iniciativa associada ao trabalho da incubadora é mais uma semente do Caepi, que visa estimular e disseminar a cultura de inovação no Cebraspe.

Nesta edição, o Programa recebeu 19 inscrições de projetos inovadores. Foram oito na categoria Pessoas, três em Redução de Riscos, dois em Sustentabilidade e outros seis em Novos Produtos ou Serviços.

“A ação da incubadora será focada na agregação de valor para os projetos apoiados. Assim, toda a atenção da equipe de gestão da incubadora deve ser no sentido de identificar dificuldades e oportunidades, de forma a acelerar e ampliar o sucesso dos projetos”, assinala Mucury.

Mais sobre o Cebraspe – O Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) é uma instituição sem fins lucrativos, criada com o objetivo de promover o ensino, a pesquisa científica e o desenvolvimento tecnológico e institucional por meio da realização de estudos, pesquisas, programas e projetos nas áreas de avaliação, certificação e seleção.

Ao longo dos anos, consolidou-se como uma organização agregadora, capaz de contribuir efetivamente para o desenvolvimento do país em todas as suas áreas de atuação. Por meio de suas avaliações e pesquisas, fornece informações enriquecedoras para o desenvolvimento das organizações, sejam elas públicas ou privadas. Saiba mais sobre o Cebraspe em https://www.cebraspe.org.br/sobre-nos/

Parque selecionará até o dia 25 de julho, 15 projetos de empreendedores nas áreas de Tecnologia da Informação, Agro e Saúde

Com objetivo de incentivar a cultura empreendedora no Brasil, gerando produtos e serviços inovadores, o Biopark - Parque Tecnológico localizado em Toledo, Oeste do Paraná, está com inscrições abertas para o processo seletivo de seu Programa de Incubação, destinado a projetos que tenham base tecnológica.

A finalidade do Programa é desenvolver negócios em fase inicial de todo o país e que apresentem ideias pautadas pelos eixos da Tecnologia da Informação, Agro e Saúde. Os selecionados receberão aporte financeiro no valor de R$ 2 mil ao mês pelo período de seis meses, além de acompanhamento especializado para o desenvolvimento de produtos ou serviços e estruturação da empresa até as primeiras vendas. Ao todo serão selecionadas 15 iniciativas.

De acordo com o diretor de negócios do Biopark, Paulo Victor Almeida, o que os motivou a lançar a incubadora foi o propósito de ajudar os empreendedores a se desenvolverem e expandirem seus respectivos mercados. “Nosso principal objetivo é auxiliar os empreendedores para que eles faturem, tenham um produto ou serviço, melhorem seus processos de gestão e consigam ter mais sucesso em sua vida empreendedora”, destaca.

Ele ainda explica que a criação da Incubadora partiu das necessidades mapeadas entre as mais de 120 empresas já instaladas no local. “A relação muito próxima com as empresas que entram no nosso ecossistema nos auxiliou na definição de um programa específico para uma categoria que não tem um produto definido, ou que ainda não possui uma ideia prática do que vai fazer”.

Para participar do processo seletivo, os interessados devem acessar o site https://www.biopark.com.br/incubadora/, ler o edital e se inscrever até o dia 25 de julho. Um dos requisitos para as empresas selecionadas é a disponibilidade de trabalhar presencialmente no Biopark.

Diferenciais

Durante o período de incubação, além do aporte financeiro, os selecionados participarão de mentorias de gestão e técnicas, com o acompanhamento do ‘mentor-padrinho’, que dedicará seu tempo para auxiliá-los no seu processo de desenvolvimento, ajudando-os a identificar as necessidades; ainda contarão com acesso ao ecossistema de inovação do Biopark, que propicia networking com empresas residentes e universidades.

Os empreendedores participantes do programa também se beneficiarão com uma infraestrutura completamente gratuita e com acesso a espaços com salas de treinamentos, aula e reuniões, biblioteca, laboratórios de pesquisa e auditório. Ainda, terão seus projetos divulgados no site e mídias sociais do Biopark.

A incubadora também conta com a participação do Sebrae. “Quando uma empresa nasce, é necessário um acompanhamento integral e direto para que se desenvolva, e é isso que uma incubadora faz. Estamos comprometidos com o crescimento dos negócios dessas empresas e com os empreendedores”, explica Alan Debus, consultor do Sebrae PR. Por meio da parceria, as empresas incubadas participarão de treinamentos imersivos, workshops de modelagem de negócios, contato com metodologias ágeis, e por último o Demoday, que é a apresentação final do produto para o mercado.

Serviço

Período de inscrição: de 07 de julho a 25 de julho de 2021.

Site: https://www.biopark.com.br/incubadora/

Outras informações: (45) 9117-8375

CLIQUE AQUI E VEJA MINA CASA, MINHA VIDA VALPARAISO

Tecnologia do Blogger.