Mostrando postagens com marcador Tecnologia. Mostrar todas as postagens

 


Interessados já podem participar do Observatório do Ecossistema de Inovação, novo desafio da Brasil Startups, FAPDF e atores-chave do ecossistema.  

 

O que você acha de alcançar um melhor posicionamento no mercado, poder tomar decisões estratégicas mais bem informadas, se debruçar sobre projetos impactantes e entender quem são os stakeholders ou grupo de interesse do seu negócio? Pois está aberta a temporada de construção de um novo cenário para o ecossistema da inovação no Distrito Federal e Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (RIDE)!


A Fundação de Apoio à Pesquisa e Inovação do Distrito Federal (FAPDF) e a Associação de Startups e Empreendedores Digitais do Brasil (Brasil Startups) se uniram para a construção do Observatório do Ecossistema da Inovação (Inovatório), maior e mais completo mapeamento e classificação do ecossistema da inovação do DF e RIDE. 


“O Inovatório é uma ação do projeto Startup Brasília 2030 (SBSB2030), iniciativa apoiada pela FAPDF no âmbito do seu Programa de Aquecimento do Ecossistema de Inovação do Distrito Federal. Nosso intuito com a realização do Programa e o apoio a iniciativas como essa é promover o desenvolvimento inteligente e sustentável de Brasília para transformá-la em uma cidade inteligente”, ressalta Marco Antônio Costa Júnior, diretor-presidente da FAPDF. “O GDF aposta na atuação integrada entre governo, setor produtivo, academia e sociedade para transformar a capital federal em um polo produtor de inovação”, completa.


Voltado para diversos atores-chave, como startups, empreendedores, investidores, universidades, coworkings, escolas, influenciadores e prestadores de serviços especializados, o Inovatório irá suprir a falta de dados estruturados e informações atualizadas sobre o universo da inovação. A proposta é conectar empreendimentos, compartilhar dados e contribuir para a elaboração de políticas públicas mais eficientes para a região. Os interessados em participar do mapeamento deverão acessar o endereço eletrônico do Inovatório.

“Empreendedores poderão encontrar em um único lugar e de forma acessível informações e inteligência de dados para conectar e apoiar a tomada de decisão das startups. O Inovatório também vai permitir que os diversos agentes enxerguem a evolução do setor e avaliem o cenário e as tendências para que possam planejar com maior propriedade as ações que deverão potencializar cada vez mais o ambiente de inovação nos seus negócios e na região”, ressalta  o vice-presidente da Brasil Startups e coordenador de implantação do Inovatório, Wendely Leal.

Integração e conhecimento –  O Inovatório vai reunir essas informações e torná-las acessíveis, fornecendo indicadores para consultas de fins diversos; incentivar políticas públicas com bases de dados; e dar suporte a decisões estratégicas do setor público e privado. Será um hub de conteúdo atualizado em tempo real com dados, informações e aprendizados disponibilizados no portal Observatório do Ecossistema de Inovação, canal que vai contribuir para a conexão de empreendedores, possibilitando a troca de experiências, a cocriação e o fortalecimento dos negócios inovadores e startups na região, o diálogo entre os participantes e a construção de um ambiente favorável à inovação. 

A partir disso, será possível atrair novos investidores e parceiros, além de auxiliar o poder público e privado no processo de criação de políticas públicas e na tomada de decisões estratégicas que favoreçam o crescimento e a prospecção das startups na região. “Acreditamos que as startups são atores essenciais para esse processo de transformação, com potencial para gerar soluções para a cidade, oportunidades e ativos econômicos”, destaca o diretor-presidente da FAPDF.

Como participar – Para participar do mapeamento, basta se cadastrar em um ou mais formulários que estão disponíveis no endereço eletrônico do Inovatório: http://inovatorio.org/mapeamento. Caso queira apenas consultar dados, acesse: inovatório.org.

“Ao contribuir  com o mapeamento, os participantes serão beneficiados com dados que irão possibilitar uma maior compreensão sobre as características do ecossistema de startups e poderão sair do campo das suposições na hora de planejar ações futuras”, afirma o coordenador de marketing na Brasil Startups, Daniel Chacal. “Nós vamos trazer informações gerais sobre o perfil  da startup e dos colaboradores, indicadores de aquecimento, impacto da Covid-19, entre outros”, completa.

A proposta está comprometida com a proteção total dos dados dos participantes, a partir do cumprimento da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), que dispõe sobre o tratamento desses dados, inclusive nos meios digitais.

Diferentemente do que indica o senso comum, projetos de inovação podem significar mais do que a criação de equipamentos geniais. Para o Cebraspe, inovar é sinônimo de melhorar processos já existentes, de modo que as organizações ganhem em eficiência, melhorem a experiência do cliente, otimizem fluxos de trabalho e implantem práticas ambientalmente corretas.

Por isso, a instituição – já conhecida no Brasil por promover o ensino, a pesquisa científica e o desenvolvimento tecnológico e institucional – elevou a aposta no aprimoramento do seu processo de gestão da inovação, para se consolidar como Instituição Científica, Tecnológica e de Inovação (ICT) referência nas áreas de educação e avaliação.

De acordo com Claudia Maffini Griboski, Diretora Executiva do Centro, a agenda da inovação sempre foi uma das prioridades da instituição e ganhou força com o Novo Marco Legal de Ciência e Tecnologia (Lei nº 13.243/2016). Depois de criar o Programa Inovar, em 2019, e aprovar a sua Política de Inovação, em 2020, o Cebraspe está em fase avançada de implantação da Incubadora de Projetos, que vai estabelecer processos estruturados para melhor acompanhar os projetos de inovação advindos do Programa Inovar, além de outras iniciativas estratégicas da instituição.

“A ideia é estimular a cultura de projetos inovadores na organização, em outras Instituições de Ciência e Tecnologia (ICT’s) parceiras e também junto a pesquisadores interessados em desenvolvimento de projetos aderentes às áreas de atuação da nossa organização”, explica a Diretora, que também é Presidente do Comitê Interno de Apoio e Estruturação de Processos de Inovação (Caepi).

A incubadora vai prospectar, selecionar e capacitar projetos que apresentem ideias de produtos, processos ou serviços inovadores, com potenciais diferenciais de mercado, viabilidade técnica e econômica. Além disso, vai oferecer mentoria qualificada, capacitações e experiências na área dos projetos selecionados, para que as ideias sejam aprimoradas e recebam apoio que torne viável a sua implantação.

“Com o Programa Inovar, observou-se que alguns projetos não avançaram como poderiam por uma série de fatores e que, talvez, com uma incubadora de projetos, auxiliando na viabilidade, poderíamos ter um ganho institucional”, afirma Danylo Mucury, colaborador do Centro, um dos idealizadores da incubadora e membro do Caepi.

Programa Inovar – O Programa Inovar foi lançado pelo Cebraspe em 2019 e este ano entra em sua 2ª edição. A iniciativa associada ao trabalho da incubadora é mais uma semente do Caepi, que visa estimular e disseminar a cultura de inovação no Cebraspe.

Nesta edição, o Programa recebeu 19 inscrições de projetos inovadores. Foram oito na categoria Pessoas, três em Redução de Riscos, dois em Sustentabilidade e outros seis em Novos Produtos ou Serviços.

“A ação da incubadora será focada na agregação de valor para os projetos apoiados. Assim, toda a atenção da equipe de gestão da incubadora deve ser no sentido de identificar dificuldades e oportunidades, de forma a acelerar e ampliar o sucesso dos projetos”, assinala Mucury.

Mais sobre o Cebraspe – O Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) é uma instituição sem fins lucrativos, criada com o objetivo de promover o ensino, a pesquisa científica e o desenvolvimento tecnológico e institucional por meio da realização de estudos, pesquisas, programas e projetos nas áreas de avaliação, certificação e seleção.

Ao longo dos anos, consolidou-se como uma organização agregadora, capaz de contribuir efetivamente para o desenvolvimento do país em todas as suas áreas de atuação. Por meio de suas avaliações e pesquisas, fornece informações enriquecedoras para o desenvolvimento das organizações, sejam elas públicas ou privadas. Saiba mais sobre o Cebraspe em https://www.cebraspe.org.br/sobre-nos/

Biopark Connect impulsionará a formação de profissionais que possam atender crescente demanda da área de TI na região

Estima-se que estejam abertas cerca de 200 mil vagas de TI no Brasil e que até 2024 esse número chegue a 400 mil postos de trabalho, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom). Mas, o número se contrapõe à insuficiente quantidade de pessoas formadas nessa área e alerta para o risco de um possível apagão de profissionais qualificados.

O cenário nacional também reflete a realidade de Toledo, cidade que enfrenta o paralelo entre o crescimento no número de empresas da área de tecnologia e a consequente necessidade de mão de obra qualificada. Segundo a Prefeitura do município, em torno de 180 empresas do setor de tecnologia estão ativas, o que representa cerca de 600 empregos e R$ 200 milhões movimentados por ano somente em folha de pagamento.

Um crescimento que também ganha estímulo com o Biopark, parque tecnológico que tem entre seus objetivos consolidar a Região Oeste do Paraná como polo de pesquisa, desenvolvimento e tecnologia, ofertando benefícios para a atração de negócios inovadores. Além de atrair empresas, o Biopark também atua na área da educação com foco na formação de pessoas, como explica o fundador Luiz Donaduzzi. “O desenvolvimento da Região Oeste está diretamente ligado à disponibilidade de mão de obra qualificada, por isso trabalhamos para oferecer educação de excelência e, principalmente, alinhada com as necessidades do mercado”, declara.

Lançado nesta segunda-feira (5), o Biopark Connect é o novo programa de formação do empreendimento com foco na formação de pessoas na área de tecnologia da informação para rápida inserção de novos profissionais no mercado de trabalho local e regional. Inovador e inédito, o programa é gratuito e ofertará 40 bolsas de até R$ 1 mil mensais como apoio financeiro durante os seis meses de duração do curso.

“Profissionais da área de TI são cada vez mais necessários nas empresas, independentemente do mercado em que elas atuam. Formar pessoas capacitadas para assumir essas vagas é uma questão urgente e que estamos dispostos a ajudar a resolver. Nosso papel é despertar o interesse da população pela área e incentivar que mais pessoas estejam aptas a atuar nesse setor que está em constante crescimento”, destaca Luiz Donaduzzi.

O objetivo do Biopark Connect é a formação de programadores “full-stack”, ou seja, que possam atuar em qualquer etapa do desenvolvimento de sistemas. Entre os conteúdos trabalhados no curso estão linguagens de programação como HTML5, CSS, JavaScript, Java, Python, entre outras, além de banco de dados, desenvolvimento para dispositivos móveis, computação em nuvem e metodologias ágeis.

Inscrições e processo seletivo  

Para se inscrever é preciso ter a partir de 18 anos e o ensino médio completo. Os inscritos passarão por um processo seletivo para concorrer a uma das 40 vagas. As inscrições já estão abertas pelo site www.saltoprofuturo.com.br e vão até o dia 24 de julho. As aulas terão início no dia 16 de agosto e serão presenciais, no Biopark, das 14h às 22h. 

CLIQUE AQUI E VEJA MINA CASA, MINHA VIDA VALPARAISO

Tecnologia do Blogger.