Fiscais recolhem 800 mercadorias na Rodoviária Interestadual

Fiscais recolhem 800 mercadorias na Rodoviária Interestadual
Operação levou ao depósito diversos produtos comercializados de forma irregular
A Secretaria da Ordem Pública e Social (Seops) e a Agência de Fiscalização (Agefis) realizaram nesta quarta-feira (15) uma ação com o objetivo de impedir o comércio irregular de mercadorias no calçadão que liga a Rodoviária Interestadual e um shopping da Epia Sul. O resultado foi a apreensão de aproximadamente 800 produtos. Participaram da ação 26 servidores.

Durante o dia ocorreram pelo menos duas abordagens. A primeira ocorreu ainda pela manhã, por volta das 10h30, quando foram recolhidos mais de 600 produtos. A maioria, 571, eram latas e garrafas de bebidas, inclusive alcoólicas. Os demais eram óculos, mesas, cadeiras e caixas de isopor. Havia, ainda, 70 quilos de comida acomodada em marmitas.

À tarde, por volta das 15h, agentes e fiscais retornaram ao local e flagraram novamente o comércio ilegal. Entre as quase 200 mercadorias havia bebidas, guarda-sóis, bancos, carrinhos de supermercado e doces.

"Não somos contra o ambulante ou o camelô. O problema é que eles tomaram a única via de acesso para pedestres no local. Por isso a importância de esse tipo de comércio ser autorizado e de que espaço público seja ocupado com critério", explicou o subsecretário de Operações da Seops, Carlos Alencar.

Os produtos foram levados para o depósito da Agefis e poderão ser devolvidos mediante a apresentação de nota fiscal e o pagamento de multa. Os perecíveis, no entanto, poderão ser doados a entidades cadastradas, e as marmitas serão incineradas.

Os órgãos de fiscalização do DF devem reforçar as atividades naquela área para demover ambulantes de camelôs da ideia de ocupá-la. No final de 2013, os órgãos do GDF estiveram na região pelo menos três vezes. Quase três mil mercadorias acabaram apreendidas.

LEGISLAÇÃO - De acordo com a legislação que regula as atividades econômicas do DF, a venda não autorizada de mercadorias em área pública é considerada irregular.

Feirantes e demais lojistas podem conseguir uma autorização na administração regional da cidade onde se pretende comercializar produtos.

Para os ambulantes, a opção é solicitar uma licença eventual na Coordenadoria das Cidades. Basta levar ao órgão RG e CPF e se inscrever na lista de interessados.

Vale ressaltar, no entanto, que no Distrito Federal o comércio ambulante está autorizado a trabalhar somente em shows e eventos, com dia e horário definidos. A escolha de quem pode atuar, nesse caso, ocorre por sorteio.